• .
  • .
  • .

Nhá-Chica

 

Francisca de Paula de Jesus, carinhosamente chamada de Nhá-Chica, nasceu em Santo Antônio do Rios das Mortes, distrito de São João Del Rey (MG), aos 26 de abril de 1810. Ainda menina, mudou-se com a mãe e o irmão para Baependi (MG). Pouco tempo depois, ficou órfã. Desde então, resolveu seguir o conselho de sua mãe: dedicar-se a fé e a caridade. Assim viveu até sua morte em 14 de junho de 1895. por sua fé e clarividência, Nhá-Chica passou a ser aclamada pelo povo como “a santa de Baependi”. Hoje é reconhecida como Serva de Deus, título que recebeu oficialmente da Congregação das Causas dos Santos, do Vaticano, em 1991.

Analfabeta, Nhá Chica foi agraciada por Deus com os dons especiais de oração, sabedoria e profecia, sempre usados para ajudar o próximo: dos mais humildes aos conselheiros do Império, que viajavam especialmente a Baependi para ouvir suas predições. Quando alguém se admirava com os fatos inusitados ocorridos por sua influencia, ela dizia: “Isto acontece porque rezo com fé”. Fé esta devotada a N. Sra. da Conceição.

Nhá Chica rezava diariamente aos pés de sua imagem da Imaculada Conceição, a quem se referia como “Minha Sinhá”. Sua crença a fez erguer uma capela em devoção a N. Sra. da Conceição, 1865.
A antiga capela deu lugar ao Santuário de N. Sra. da Conceição, onde Nhá Chica foi enterrada, conforme seu desejo. Seu corpo ficou insepulto por quatro dias, sem o menor sinal de decomposição.

Por todos os fatos ocorridos e relatos presenciados, a Diocese de Campanha instaurou, em julho de 1993, o Tribunal pela Causa de Beatificação de Nhá Chica – o primeiro passo a Canonização.

Fonte: site www.baependi.mg.gov.br